A seleção da Superliga masculina

A seleção da Superliga masculina
Será preciso uma justificativa muito boa para não escolher Lucão como o melhor da Superliga masculina 12/13 (Foto: Divulgação/CBV)

Será preciso uma justificativa muito boa para não escolher Lucão como o melhor da Superliga masculina 12/13 (Foto: Divulgação/CBV)

Depois da escolha das melhores da Superliga feminina 2012/2013 chegou a vez dos homens. E, se no caso da mulherada quatro jogadoras (Garay, Pavan, Juciely e Tandara) foram votadas como MVP, imagino que o contrário acontecerá agora: Lucão é unanimidade como melhor jogador da disputa, não?

Bom, ao menos na hora de escolher os meus preferidos, não tive dúvidas em colocar o central do RJX no topo da lista: como está jogando esse Lucão! Extremamente habilidoso apesar dos 2,10m, ele também mandou bem demais no bloqueio e no saque. Com 401 pontos, terminou a disputa como o terceiro maior pontuador. Sim, um central foi o terceiro maior pontuador da Superliga!

Mais notícias de vôlei? Melhor do Vôlei!

E quem faria parceria com o Lucão neste timaço. Abaixo, as minhas escolhas:

Levantador: William (Sada Cruzeiro) – Opção difícil quando Bruninho e Marcelinho são concorrentes, mas fiquei com o “Mago” pela regularidade durante toda a competição. Nos três últimos sets da final esteve abaixo do que apresentara até então, mas o time jogou mal…

Oposto: Wallace (Sada Cruzeiro) – Está ao lado de Fernanda Garay quando falamos de jogador que evolui ano a ano. Dedicado, também entendeu bem o significado de ser a “bola de segurança” de um time

Ponteiro 1: Lucarelli (Minas) – Em um momento no qual o Brasil vê seus principais ponteiros envelhecerem e/ou terem problemas físicos, é um alívio ver um jovem que não só ataca muito bem como segura as pontas no fundo de quadra

Ponteiro 2: Thiago Alves (RJX) – Às vezes some das partidas, mas não se pode negar que é difícil segurar quando embala em quadra. Foi o desafogo de Bruno quando Lucão estava marcado demais

Central 1: Lucão (RJX) – Elogios merecidos feitos no começo do texto

A seleção da Superliga feminina (atualizado)

Como o campeão RJX minou as forças do Sada Cruzeiro na decisão

Central 2: Maurício (Minas) – Ex-jogador do Vôlei Futuro foi o típico mineirinho: discretamente, foi parando os rivais e, de tanto fazer isso, acabou recebendo o prêmio de melhor bloqueador da competição, com um aproveitamento superior ao de Lucão.

Líbero: Serginho (Sesi) – Mesmo sofrendo a parte física e vendo o mesmo acontecer com os companheiros de equipe, ainda acabou a Superliga com a segunda melhor defesa e a décima melhor recepção. Aplica-se o ditado: “Quem é rei, nunca perde a majestade”

Revelação: Danilo Gelinsk (Juiz de Fora) – Sim, esse promissor levantador já havia se destacado na temporada passada e voltou a repetir as boas atuações este ano. De qualquer forma, resolvi colocá-lo nesta categoria por ainda não ser muito conhecido do grande público. Se eu fosse dirigente, correria para contratá-lo

Técnico: Horacio Dileo (Minas) – Seguindo os passos do compatriota Marcelo Mendez, o argentino fez bonito em seu primeiro ano de Brasil, por pouco não fazendo o tradicional Minas voltar à decisão. Não tinha o time mais badalado e nem o mais entrosado em mãos, mas ainda assim quase derrubou rivais teoricamente mais fortes. Vale lembrar que ainda teve que lidar com um elenco que sofreu com contusões.

Assim como aconteceu no post da seleção feminina, a caixinha de comentários é de vocês! Escolham seus preferidos!