Após Murilo fechar com o Sesi, Jaqueline cogita jogar no exterior

Após Murilo fechar com o Sesi, Jaqueline cogita jogar no exterior

Nos últimos anos, Jaqueline e Murilo tentaram fechar contratos sempre com times da mesma cidade a fim de não precisarem viver separados. A rotina do casal, porém, pode mudar radicalmente na temporada 2016/2017: é que, enquanto ele já firmou sua permanência no Sesi, a ponteira da seleção brasileira cogita seriamente aceitar uma das propostas que possui para jogar fora do Brasil.

“Diferente da outra vez em que eu fiquei sem clube, estou muito mais tranquila. O Murilo já está lá no Sesi, já assinou, eu tenho meu filho e estou pensando só no momento aqui da seleção”, comentou a jogadora, que também avalia a possibilidade de não fechar com ninguém. “Se eu tiver que não jogar, não vou jogar. Se eu tiver que ir pra fora, vou. Tudo vai ser estudado”, destacou.

Mais notícias de vôlei? Melhor do Vôlei!

Confira os novos uniformes do Brasil no vôlei indoor e de praia

De certo, por enquanto, só a decepção com os clubes brasileiros – o Sesi que Jaque defendia, por exemplo, resolveu baixar drasticamente o investimento no voleibol feminino e vai apostar em uma equipe com jovens atletas para a próxima Superliga.

“Propostas do exterior estão chegando, enquanto aqui está muito difícil. Lá fora, a gente é muito mais valorizada. Vimos o que aconteceu com a Thaisa (a central não aceitou uma redução no Vôlei Nestlé e deixou o time), infelizmente é isso. A Superliga vai acabar sem estrelas porque as melhores jogadoras vão acabar saindo do Brasil. Fico muito triste e decepcionada. O tanto que a gente deu por esse Brasil e agora recebemos essas respostas…”, comentou a jogadora, que definiu a atual abertura do mercado como “o pior ano para as jogadoras voltarem” ao voleibol nacional. “É triste falar isso, mas é nossa realidade”, afirmou.

O fato de Arthur, filho de Jaque com Murilo, já não ser mais um bebê é fundamental na mudança de postura de Jaque. “Antes era mais difícil, pois eu era mãe de primeira viagem, estava muito nervosa com tudo. O pós-parto te deixa depressiva, insegura, mas agora estou mais tranquila. Não adianta ficar aqui mendigando. Se tiver que parar esse ano, vou treinar, fazer minhas coisas e ano que vamos eu e o Murilo embora. Não quero me preocupar, ficar chorando, eu quero é ser feliz porque meu maior objetivo
agora é essa Olimpíada. O futuro, só Deus sabe”, resumiu.

* A repórter Carol Canossa viajou a Saquarema a convite da Olympikus

(Foto: Reprodução/Instagram)