As Leoas de Camarões garantem classificação inédita para as Olimpíadas

As Leoas de Camarões garantem classificação inédita para as Olimpíadas

As Leoas, como são chamadas as jogadoras da seleção de Camarões, virão aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Hoje, diante da sua torcida, na capital Iaundé, as camaronesas superaram as egípcias numa batalha de duas horas e vinte minutos por 3-2 (25-14, 25-27, 21-25, 25-23, 15-7) e asseguraram a classificação inédita para as Olimpíadas.

A vitória no Pré-Olímpico Feminino da África levou ao delírio os 5,4 mil torcedores que lotaram o Palais des Sports. Boa parte da torcida invadiu a quadra para celebrar com as jogadoras, com direito a batucada.

A oposta Nana Tchoudjang foi a principal pontuadora para o time vencedor, com 21 pontos, seguida pela central Stephanie Fotoso, com 19. A oposta egípcia Aya El Shami, com 22, foi a maior pontuadora da partida.

Ontem, nas semifinais, o Egito surpreendeu o favorito Quênia numa partida com duas horas e meia de duração por 3-2 (25-22, 24-26, 16-15, 25-20, 19-17), enquanto as donas da casa tiveram uma vitória tranquila sobre a Argélia por 3-0 (25-20, 25-17, 25-17).

Esta será a quinta vez que uma seleção feminina da África participará do torneio de vôlei feminino dos Jogos Olímpicos. O Quênia participou de Sydney 2000 e Atenas 2004, enquanto a Argélia foi às Olimpíadas de Pequim 2008 e Londres 2012. O continente africano tem sido representado no torneio masculino desde os Jogos Olímpicos de Munique 1972.

SdR-Camarões

Brasil vs. Camarões
Camarões participou do Mundial 2014, quando enfrentou as jogadoras reservas do Brasil e perdeu por 3-0. Foi apenas o segundo confronto entre as duas seleções – o primeiro, também vencido pelo Brasil por 3-0, havia sido no Mundial 2006. Após a partida de 2014, em Trieste, na Itália, as jogadoras de Camarões fizeram festa ao posar para fotos com a seleção brasileira, como no registro logo acima, feito pela fotógrafa da FIVB Conny Kurth.

A exemplo da sua seleção masculina, que jamais foi aos Jogos Olímpicos, as camaronesas chamam a atenção da torcida pela forma como comemoram seus pontos e pela simpatia. Não devem oferecer resistência aos adversários no Rio, mas a empolgação da equipe é contagiante. Foi assim na Itália, em setembro de 2014.

Devido ao método de divisão dos grupos nas Olimpíadas, em que não há sorteio, mas sim uma distribuição alternada a cada dois times conforme o ranking mundial de janeiro deste ano, o time de Camarões deve enfrentar o Brasil no grupo A – o país-sede é sempre o principal cabeça de chave, independentemente do ranqueamento.

Realização de um sonho
A oposta Nana Tchoudjang disse logo após a partida, à emissora local CRTV, que participar das Olimpíadas é um velho sonho que agora vai se tornar realidade. O técnico de Camarões, Jean René Akono, ressaltou o espírito de luta da equipe e destacou a qualidade dos demais semifinalistas.

As quenianas venceram as argelinas na disputa pelo terceiro lugar por 3-0 (25-19, 25-21, 26-24). Outras três seleções – Botsuana, Tunísia e Uganda – participaram do Pré-Olímpico em Iaundé.

Egito e Quênia se juntarão à Colômbia e Porto Rico para a disputa de uma repescagem no final de maio que dará uma vaga para o Rio 2016. As datas e o local ainda serão definidos – as federações colombiana e porto-riquenha disputam o direito de ser sede do qualificatório. A seleção de Porto Rico é a favorita para ficar com a vaga.

Sete equipes estão classificadas para o Rio 2016: Brasil (país-sede), Estados Unidos, Rússia, China, Sérvia, Argentina e Camarões. Ainda há cinco vagas. Além da repescagem já mencionada, haverá o Pré-Olímpico Mundial, no final de maio, no Japão, quando quatro times se classificarão: os três primeiros e o melhor asiático. Participarão do torneio, além das anfitriãs, Coreia do Sul, Tailândia, Cazaquistão, Itália, Holanda, República Dominicana e Peru.