Atrito entre Ramirez e Zé Roberto escancara tensão no Vôlei Amil

Atrito entre Ramirez e Zé Roberto escancara tensão no Vôlei Amil
Ramirez não levou desaforo pra casa mesmo diante de um técnico respeitadíssimo (Foto: Reprodução)

Ramirez não levou desaforo pra casa mesmo diante de um técnico respeitadíssimo (Foto: Reprodução)

Qualquer que seja a situação, um grupo de pessoas constantemente reunidas é fonte de tensão. Imagine então quando os resultados estão aquém do desejado, por diversos fatores: lesões, rendimentos abaixo do esperado, falta de sincronia entre pessoas…

É exatamente isto que tem acontecido no Vôlei Amil e ficou escancarado no quarto set da suada vitória da equipe sobre o Pinheiros na noite desta terça-feira (5). Como é possível ver a partir de 2h07min do vídeo abaixo, o técnico José Roberto Guimarães e a cubana Ramirez entraram em atrito durante uma parada do jogo:

Durante a pausa, Ramirez, que está ao fundo do vídeo, começa a abaixar e é prontamente atendida por um membro da comissão técnica. Como saberíamos mais tarde, ela reclamava de dores no tornozelo esquerdo, o mesmo que a fez ficar de fora ou no banco de reservas em parte das últimas rodadas. Com 2h07min27s é possível ouvir Zé falar: “Mas ela está no jogo, como pode ter esfriado?”. Ao que Ramirez responde com 2h07min32: “Está doendo!”.

Ramirez então se aproxima da quadra é substituída por Vasileva (2h08min06s). Repórter do SporTV que fica perto dos bancos de reservas, Anselmo Caparica confirma que ambos tiveram uma discussão e relata que “Ramirez chegou a gritar”.

QUER MAIS NOTÍCIAS DE VÔLEI? VÁ AO MELHOR DO VÔLEI

Pouco depois, ele acrescenta que “os dois estão discutindo até agora”. Encerrada a jogada que acontecia paralelamente a tudo isso, a câmera se volta para Ramirez, que muito nervosa diz algo para um integrante da comissão técnica e, chorando, sai de perto quando Zé se aproxima. Aos 2h10min30, a atacante aparece novamente recebendo atendimento médico e o repórter informa que o técnico falou para ela sair de quadra a fim de receber atendimento. Na seqüência, imagens recuperadas mostram o quão ríspida foi a discussão entre os dois. Ao término do duelo, nem Zé Roberto nem a jogadora falaram com a imprensa. Questionada sobre o assunto, a capitã Walewska disse que achava que Ramirez estava com dores, mas definiu a briga como “coisa de jogo”.

Uma pessoa que acompanha de perto os bastidores do time me disse que a cubana chegou a mandar o técnico “tomar no c…” por ele não ter acreditado em sua má condição física naquele momento. Aliás, este não seria o primeiro momento em que saiu faísca na relação entre treinador e jogadoras nas últimas semanas. Ciente de que as coisas não estão bem, a diretoria do time já discute medidas com ambas as partes para tentar acalmar os ânimos.

Minha função como jornalista não é julgar ninguém, apenas relatar o que acontece buscando o máximo de informações possíveis de todos os lados envolvidos. Diante disto, formo uma opinião. Neste caso, me parece que Zé Roberto errou ao forçar uma situação com Ramirez – não é porque estamos falando de um tricampeão olímpico que devemos classificá-lo como um “ser perfeito”. Por outro lado, crises acontecem em qualquer lugar, incluindo nos nossos trabalhos, e, muitas vezes, podem significar o combustível rumo à vitória, vide o que aconteceu com a própria seleção dirigida por Zé Roberto em Londres 2012. E, ainda que aos trancos e barrancos, além de falhas dos rivais diretos, o Vôlei Amil tem vencido os últimos jogos e já é o terceiro colocado na Superliga.

E você, o que acha? Sua opinião é livre, mas apenas peço para, qualquer que ela seja, seja mantido o respeito com todas as figuras envolvidas.

OBS: No começo da manhã desta quarta (6), Ramirez postou em sua página no Facebook a imagem abaixo, com a seguinte mensagem: “Estoy muito avalada triste pa caramba”. Pouco depois, escreveu outra mensagem agradecendo o apoio dos fãs

(Foto: Reprodução/Facebook)

(Foto: Reprodução/Facebook)

This article has 7 comments

  1. Tensão em grupos sempre existe. Cabe agora a todos transformarem essa energia toda em boas atuações. Curto o estilo apaixonado da Ramirez e vejo o Zé Roberto como o melhor técnico do mundo, mesmo que, aparentemente, controverso às vezes. Nos resta acompanhar a partir de agora no que vai se transformar tudo isso! Go Campinas!!! \o/

  2. eu estava ontem no ginásio, proximo da quadra e vi tudo isso de perto…a Ramirez chorava no banco de reservas e gritava aos berros com o ZRG…não deu pra ouvir direito, pq a torcida fazia bastante barulho…mais logo em seguida ela foi pro vestiário junto com o fisioterapeuta (eu acho)…mais no 3° set, ela ja havia saído de quadra carregada por conta da torção…PORÉM, ela pediu pra voltar ainda no 3° set

  3. O Ze Roberto sempre foi motivo de discussao em grupos, msmo ganhando as olimpiadas quem nao se lembra q as jogadoras eram contra a pessoa dele? ele eh bastante arrogante.

  4. Ele não é arrogante coisa nenhuma, conheço atletas que trabalharam com ele muito tempo e todos falam dele como uma pessoa muito querida, etc….

    As jogadoras da seleção falando dele também sempre apresentam muito carinho pela pessoa dele, o que passou na seleção são outros 500, mas tem sempre um cortado para falar mal… e isso é comum em seleção sempre um craque fica de fora e os fãs mordidos saem falando com a pilha dessas pessoas por trás!

  5. Carol, adorei seu texto e a sua descrição não apressada da cena que houve no jogo.
    Não acredito que o Zé seja mau caráter a ponto de fazer a Ramirez jogar com dor. Prefiro crer que, ao vê-la voltar jogando tão bem no tie-break, ele julgou que estivesse tudo em ordem com o tornozelo dela. Seja como for, ele tem que se retratar publicamente pelo erro.

    Parabéns pela mudança do blog, só não gostei dessa fonte. Estou tendo dificuldade para ler.

  6. Oi, Perikito. Obrigado a você e a todos pela opinião. Quanto à fonte, qual seria sua maior dificuldade? O tamanho? Abs!

  7. Não sei explicar, Só sei dizer que esse fundo branco com essa fonte me dá uma dificuldade enorme de leitura. Sim, eu tenho astigmatismo, mas é bem pouquinho, tanto que só uso óculos para descanso.

    De qualquer forma, obrigado pela atenção, Carol.