Áudio: Zé Roberto nega a volta de Fofão à seleção brasileira

Para que não restem dúvidas, postei no YouTube o áudio de parte da entrevista que o Zé Roberto concedeu na manhã desta terça-feira (31/08/2010) durante seu desembarque em Cumbica após a campanha que culminou com o segundo lugar no Grand Prix 2010.

O trecho acima traz a minha pergunta sobre a possibilidade da volta da Fofão somente para o Campeonato Mundial, conforme se especulou nos últimos dias. Desculpem a qualidade não ser das melhores, mas é possível ouvir de uma forma muito clara que ele nega o retorno. Apesar de o sistema de som do aeroporto ter atrapalhado um pouco, no 0:08 ele responde “nenhuma” quando lhe pergunto se existe alguma chance de a levantadora voltar.

A propósito, a própria Fofão já negou isso diversas vezes, inclusive em seu Twitter oficial. Uma mudança nos planos, portanto, pegará a todos de surpresa.

Eu, particularmente, gostaria de ver a jogadora de volta por toda sua técnica apurada, mas ao mesmo tempo precisamos analisar a situação de uma maneira mais ampla, levando em consideração os Jogos Olímpicos de em 2012. Um retorno de Fofão seria bastante prejudicial neste sentido, já que a possibilidade de ela atuar em Londres com 42 anos é baixíssima. Fabíola, Dani Lins ou Ana Tiemi precisam desde agora ter a experiência da pressão envolvida em um grande torneio e o Mundial é a melhor chance para isso. Além disso, o São Caetano/Blausiegel já provou que sem o passe na mão nem Fofão salva…

This article has 2 comments

  1. Carol, me tornei sua fã. Apesar da paixão de torcedora, vc é imparcial nos seus comentários e quando deixa de lado essa imparcialidade é sempre de uma maneira construtiva e não destrutiva como acontece com alguns comentaristas. Digo isso até como forma de desabafo pois me decepcionei muito com o Bruno voloch por esse seu post: (Titularidade de Fabíola sugere ‘padrinho’ e ‘conto de fadas’)no seu blog. Reconheço que Fabíola não é a melhor levantadora do mundo(está distante disso) mas ela está em fase de maturação e a tarefa não é nada fácil. Claro que nós torcedores queríamos que a Fofão jogasse eternamente pela seleção, mas esse sonho é impossível e nós temos que apoiar as jogadoras que receberam essa batata quente nas mãos. Acho que pelas atuações no GP a Fabíola ganhou essa titularidade na bola, a Dani tem muito talento mas infelizmente não vive um bom momento nem tecnicamente e muito menos emocionalmente, o que acho até compreensível pela idade e pela responsabilidade que caiu sobre ela. Desculpe o desabafo, desculpe citar nomes de terceiros em seu post, entenderei perfeitamente se vc não responder o comentário. Mas por favor aceite meus parabéns, eles são sinceros.

  2. Sandra, respondo sem o menor problema: quando acerta a mão, o Voloch é um bom jornalista, mas nesta ânsia de querer ser sincero demais, ele peca pelo exagero. Não gostar do jogo da Fabíola é um direito dele e de qualquer torcedor, mas daí insinuar que ela só está lá por ter um “padrinho” é uma acusação grave e que, se não provada, mancha a credibilidade dele.

    Não defendo ninguém, mas sempre baseio minhas análises levando em conta que, assim como nem todos os dias eu escrevo bem, nem todos os dias uma atleta joga bem. É preciso ver o global, inclusive os “serviços prestados” no passado…

    Enfim, é isso o que penso. E agradeço bastante mesmo pelos “parabéns” e pela sua confiança em mim. É pelos leitores e fãs de vôlei como você que eu tiro uma parte da minha folga para abastecer o blog.

    Abs,