Boa notícia pro fã de vôlei: camisas pesadas garantem lugar na Olimpíada

Boa notícia pro fã de vôlei: camisas pesadas garantem lugar na Olimpíada

Rússia, Estados Unidos feminino e Cuba masculino. Se em 2015 essas equipes tradicionalíssimas do voleibol mundial ficaram devendo, este ano elas resolveram não dar chance para o azar. Encerrada a semana de Pré-Olímpicos da Europa, Norceca e América do Sul, mais cinco participantes dos Jogos do Rio de Janeiro foram conhecidos pelo público.

Exceção feita ao time de mulheres da Argentina, todos os outros classificados possuem uma história de títulos e talento no vôlei. A Rússia, por exemplo, ressurgiu após uma temporada de resultados que fizeram fãs temerem uma possível ausência na Olimpíada: diante da França, a equipe masculina do país saiu de uma contundente derrota no primeiro set para um 3 sets a 1 (14-25, 25-16, 25-23 e 25-21) com aula de bloqueio. No feminino, as russas foram crescendo ao longo da competição e, sob o comando de Goncharova e Kosheleva, carimbaram o passaporte para o Brasil, onde certamente lutarão pelo ouro, ao vencerem a Holanda na final (25-21, 22-25, 25-19 e 25-20).

Mais notícias de vôlei? Melhor do Vôlei!

Las Panteras fazem história em Bariloche

Falando em favoritismo, a seleção americana feminina alcançou a classificação com facilidade após o vacilo na Copa do Mundo: 3 a 0 (25-19, 25-19 e 25-18) sobre a República Dominicana. Já Cuba, mesmo sem alguns de seus melhores jogadores, surpreendeu o Canadá na seletiva masculina da Norceca com direito a uma vitória em sets diretos (25-15, 25-21, 25-21) com torcida contra em Edmonton.

Se a pressão da torcida atrapalhou o Canadá, ela teve efeito contrário na seleção feminina da Argentina. Em um ginásio com clima de estádio de futebol, “Las Panteras” provaram que o técnico brasileiro do Peru, Mauro Marasciulo, estava errado e bateram a tradicional equipe andina por 25-20, 25-20 e 25-14 com um show do sistema defensivo. Será a primeira vez que elas poderão desfrutar da emoção de estar em uma Olimpíada.

Segue em disputa até esta terça-feira o qualificatório masculino da África, cuja versão pra mulheres só ocorre em fevereiro. Depois disso, as últimas vagas serão definidas em um Pré-Olímpico Mundial e uma repescagem, torneios programados para maio – vale lembrar, porém, que esta fase da classificação está causando polêmica, pois faz times mais fortes se enfrentarem, enquanto seleções com resultados piores terão caminho livre rumo ao Rio de Janeiro.

Seleções classificadas à Olimpíada até agora:
Feminino: Brasil, Argentina, China, Estados Unidos, Sérvia e Rússia
Masculino: Brasil, Argentina, Cuba, Estados Unidos, Itália e Rússia

Pré-olímpico africano feminino (uma vaga): Argélia, Botswana, Burkina Faso, Cabo Verde, Camarões, Congo, Egito, Gabão, Gambia, Gana, Madagascar, Moçambique, Nigéria, Quênia, Senegal, Tunísia, Uganda e Zimbábue
Pré-olímpico africano masculino (uma vaga – semifinais): Argélia, Camarões, Egito e Tunísia

Pré-olímpico Mundial feminino (quatro vagas): Cazaquistão, Coreia do Sul, Japão e Tailândia (o melhor destes quatro se classifica, independente da posição geral) + Holanda, Itália, Peru e República Dominicana
Pré-olímpico Mundial masculino (quatro vagas): Austrália, China, Irã e Japão (o melhor destes quatro se classifica, independente da posição geral) + Canadá, França, Polônia e Venezuela

Repescagem mundial feminina (uma vaga): Colômbia, Porto Rico e duas seleções africanas a serem definidas
Repescagem mundial masculina (uma vaga): México, Chile e duas seleções africanas a serem definidas