Bruno e Vissotto dizem que vivem pior momento na seleção brasileira

Bruno e Vissotto dizem que vivem pior momento na seleção brasileira

Foram quatro derrotas em seis jogos em casa, uma delas por 3 a 0 para o Irã, representante do segundo escalão do voleibol mundial. É assim, neste ritmo devagar, quase parando, que a seleção brasileira masculina começou na Liga Mundial, o que causa estranhamento na torcida e até nos próprios atletas.

Capitão do time, o levantador Bruno está na seleção desde 2006 e reconhece que o momento é inédito para um time que, nos últimos anos, subiu no pódio de quase todas as competições que disputou:

Mais notícias de vôlei? Melhor do Vôlei!

Bernardinho: saque ineficiente da seleção tem a ver com questão cultural dos clubes brasileiros

— Nunca tínhamos perdido tantas partidas assim, ainda mais em início de trabalho. Só que temos que estar preparados para isso também, a vida não é só coisa boa. O momento é de superar, temos nos unido cada vez mais, procurado trabalhar dia a dia, mas está faltando colocar em prática no jogo, recuperar a agressividade que foi a alma deste time durante tantos anos

Vivendo situação semelhante, o oposto Leandro Vissotto se mostra inseguro ao buscar soluções para o problema:

— Cheguei aqui em 2008 e nunca vivenciei a situação que estamos passando agora. São muitas derrotas… não sei, nunca vivenciei isto, temos que procurar sair. Nosso objetivo é o Mundial, mas não estamos conseguindo jogar, está tudo difícil. Tem que treinar, treinar, evoluir no treinamento para chegar ao jogo mais confiante, conseguir fazer as coisas com mais eficiência

Jogo a céu aberto gera lindas imagens na Liga Mundial; veja

Com apenas cinco pontos conquistados em 18 possíveis, o Brasil volta a entrar em quadra pela Liga Mundial na próxima sexta (13) e domingo (15), quando encara novamente o Irã, desta vez na casa do adversário. Nas semanas seguintes, o time também terá dois duelos contra a Polônia e a Itália.

Com cinco pontos em seis jogos, o Brasil é segundo colocado no Grupo A da competição, com um ponto a mais que o Irã e dois que a Polônia, mas ambos os times possuem dois jogos a menos. A Itália é líder com 18 pontos, mas, por ser sede, já está garantida na fase final da Liga Mundial, sobrando duas vagas para as outras três equipes da chave.

This article has 2 comments

  1. Carol  pra mim Bruno e Vissoto desde 2012 não vem atuando bem e desde então poucos jogadores, ponteiros, surgiram para suprir as saídas de Dante e Giba. Tiago, ex RJX devido a lesões sumiu no cenário assim como João Paulo Tavares, João Paulo Bravo. Wallace e Lucarreli  não seram os salvadores da Pátria, vôlei é conjunto. Está na hora de abrir as portas pra novos levantadores e buscar/investir Brasil a fora em formação de ponteiros.

  2. Num tão jogando NADA!!!! nem sabem sacar! Recepção zero e um líbero que só espana!!! “bons” jogadores com conjunto nulo!!!!! Jogo de equipe galera! foi-se o tempo que a camisa amarela apavorava os adversários…………………….