Com bom planejamento, Jaque satisfaz o lado pessoal e não prejudica o profissional

Com bom planejamento, Jaque satisfaz o lado pessoal e não prejudica o profissional
Mesmo com parto previsto para o fim do ano, Jaque cogita disputar a reta final da Superliga (Foto: Reprodução/Instagram)

Mesmo com parto previsto para o fim do ano, Jaque cogita disputar a reta final da Superliga (Foto: Reprodução/Instagram)

Era apenas um palpite, mas que se revelou certeiro. Em post publicado aqui no Saída de Rede no dia 20 de junho a respeito da demora de Jaqueline em revelar seu futuro, eu dizia que pouca gente “do meio do vôlei se surpreenderia se a atleta anunciasse uma gravidez nas próximas semanas”. Dito e feito: no último fim de semana, a ponteira revelou ao “Globo Esporte” que já está no quarto mês de gestação de um menino.

Depois de sofrer um aborto espontâneo em meados de 2011, Jaque desta vez adotou uma postura mais cautelosa e só decidiu falar publicamente sobre o tema quando tinha certeza que tudo corria bem com a gravidez. Trata-se de um motivo bastante razoável para o mistério que sustentou desde o fim da Superliga. Aparentemente, ela também foi bastante profissional ao tratar com os times interessados em seu trabalho durante este período e não encheu ninguém de promessas.

Mais notícias de vôlei? Melhor do Vôlei!

Veja matéria especial (com vídeo) sobre os 30 anos de Brasil x URSS no Maracanã!

Falando em times, aliás, Jaque cogita até mesmo disputar a reta final da Superliga pelo Osasco, já que o parto está previsto para acontecer no fim do ano. Claro que tudo depende das condições de saúde de mãe e filho e de como a jogadora estará se sentindo psicologicamente, mas, na minha opinião, a hora é mesmo de um ano sabático. Ao contrário de Paula Pequeno, que fez um baita esforço para estar no Mundial depois de Mel nascer em junho de 2006, Jaque tem a agenda mais “folgada” e pode trabalhar tudo sem maiores atropelos, enquanto curte a vida pessoal.

Para isso, basta que se cuide fisicamente, o que, a julgar pela pouquíssima barriga dela aos quatro meses, não será problema. Luizomar de Moura e José Roberto Guimarães, aliás, certamente vão acompanhar tudo de perto para ter uma das atletas mais importantes do Brasil a postos assim que possível.

Vale lembrar que ambos já conquistaram quase tudo o que queriam na área profissional, sendo realmente o momento para pensar em outros aspectos. Além disso, como o próprio Murilo ressaltou, o ano de 2013 tem competições de menor impacto, o que significa que a ausência dela é perfeitamente contornável na seleção. A nós, que acompanhamos vôlei de perto, só resta desejar tudo do melhor para ambos e que eles não percam o foco na carreira, já que ainda possuem uma boa contribuição a dar para o esporte brasileiro.

Você acredita que Jaque vai conseguir ou mesmo vai querer voltar ao vôlei com tudo depois do parto? Opine!

This article has 4 comments

  1. I doubt. It takes much longer, if they ever can, for an older player to get back to the right form after delivering a baby. If she’s 24 years old, then I have no doubt she can do it. But at the age of 30, I don’t really know. I think she made a bad decision.

  2. Sem dúvidas de que voltará bem. A função tática que cumpre na seleção a permite estar pronta para o Mundial. Lembro que a Paula em 2006 estava bem fora de forma, lenta e batendo bem fraco na bola. Jaque é passe, defesa e surpresa, como na final de Londres, quando surpreendeu as americanas com seu ataque.

  3. Jason: Jaqueline thought surely more to personal life than the professional life at this time, but we must remember that she is a crucial player in Brazil – currently, we don’t have a spiker with her skills on pass. I believe that at least she will have a chance with Jose Roberto Guimaraes in 2014. Best Regards!

    Perikito: concordo plenamente. Abs!

  4. Ela volta com tudo. Não na próxima superliga, mas certamente, se tiver em condições físicas, disputará o Mundial ano que vem.