Como era o mundo na última vez em que o Rexona não foi à final da Superliga?

Como era o mundo na última vez em que o Rexona não foi à final da Superliga?

Em busca de seu 11º título da Superliga feminina de vôlei no próximo domingo (3) contra o Dentil/Praia Clube, o Rexona-Ades tem uma história tão grande de sucesso na competição que é até difícil lembrar a última vez em que o time não chegou à decisão. Trata-se da temporada 2003/2004, quando a equipe ainda nem jogava no Rio de Janeiro, mas sim no Paraná. Na ocasião, Finasa Osasco e MRV Minas fizeram a final, com título da equipe paulista.

Será que muita coisa mudou desde então? Fomos atrás das respostas e encontramos algumas curiosidades:

Mais notícias de vôlei? Melhor do Vôlei!

Macris: sem medo de arriscar

1. A decisão do título mais importante do vôlei à época era feita melhor-de-cinco jogos, bem diferente do que acontece hoje, em que há uma partida única e olhe lá. Osasco, na ocasião, venceu a série por 3 a 1, com destaque para duas jogadoras: Fernanda Venturini e Mari. Do lado mineiro, que tinha Virna, duas jovens começavam a despontar para o vôlei: Fabiana e Sheilla

(Aliás, se você tiver um tempo, reveja as partidas no YouTube. É bem legal para ver as jogadoras agora aposentadas e se divertir com as estrelas de hoje ainda novinhas)

2. No masculino, o título ficou com um time que já nem existe mais: a Unisul. Com grande campanha, os catarinenses não deram chances para a Ulbra/São Paulo e passaram pela decisão sem sequer perder um set. O grande jogador daquela equipe foi o craque argentino Marcos Milinkovic, aposentado das quadras desde 2013 e hoje treinador do UNTreF Vóley

3. No cenário internacional, a seleção brasileira feminina estava saindo de uma crise sem precedentes, com direito a três anos seguidos fora do pódio do Grand Prix. Diferenças entre as jogadoras mais velhas e o técnico Marco Aurélio Motta culminaram em uma briga que tirou a equipe verde-amarela da elite do vôlei mundial, situação que só começaria se reverter com a chegada de José Roberto Guimarães e a segunda colocação na Copa do Mundo de 2003.

4. No masculino, a Era Bernardinho vivia seu auge e, meses depois da Superliga, a consagração veio com a medalha de ouro em Atenas. A grande dúvida era se Nalbert conseguiria ou não jogar a Olimpíada, já que em fevereiro daquele ano ele sofreu uma grave lesão no ombro esquerdo durante uma partida do Macerata. Conseguiu.

5.  Adversário do Rexona nesta final, o Dentil/Praia Clube nem sonhava em existir: o time só foi fundado em 2008. Mas Uberlândia teve um representante naquela Superliga 2003/2004, o Sesi Esportes, que era comandado por Percy Oncken

6. Um dos destaques do time carioca nesta temporada, a ponteira Gabi ainda estava prestes a completar dez anos e nem sonhava em ser jogadora de vôlei

7. No mundo dos esportes em geral, o grande nome era Michael Schumacher, que no fim de 2004 conquistou seu sétimo e último título da Fórmula 1

8. Redes sociais? Só quem era muito ligado em tecnologia sabia o que era isso: Orkut e Facebook foram criados no primeiro semestre daquele ano, enquanto o YouTube nem existia. É, não dava nem pra ficar horas na internet revendo partidas naqueles tempos…

9. Marlon Brando, Yasser Arafat e Lionel Brizola ainda eram vivos

10. Nos cinemas, o que estava bombando era Shrek 2 e o terceiro filme do Harry Potter, o Prisioneiro de Azkaban. Na TV, a novela Celebridade estava bombando.

E você, se lembra de algum fato daqueles tempos em que o Rexona não chegava à final? Comente aí abaixo!

(Na foto que ilustra o post, uma cena rara: Venturini, esposa do técnico Bernardinho, do Rexona, defendendo Osasco)

This article has 5 comments

  1. Naquele mesmo ano, a seleção de futebol masculino conseguiu então seu pior vexame: ficar de fora de uma Olimpíada. E olha que vinha do pentacampeonato de 2002! (10 anos mais tarde, sofreria outro pior…) Em contrapartida, a seleção feminina da mesma modalidade quase abocanhou o ouro, e foi naquele ano que ficamos conhecendo Marta Vieira de Oliveira, a nossa camisa 10.
    O hit “Tô Nem Aí”, da Luka, já dava sinais de cansaço.
    A seleção grega de futebol seria campeã da Eurocopa daquele ano ao bater os portugueses, comandados por Luiz Felipe Scolari. Cristiano Ronaldo (à época no Manchester United) não era o popstar e metrossexual de hoje em dia.
    O escândalo do mensalão só estouraria em 2005. Até então, o segundo ano do PT na presidência parecia tranquilo.

  2. Naquela época, estava iniciando ou no primeiro ano do governo do partido que agora o pessoal quer tirar de lá.

    O “meu nome é Enéas” viria a morrer nesse ano, assim como os que você citou na matéria.

    O Brasil foi atingido pelo furacão Catrina.

    E fechando, neste ano morreu o Superhomem, o ator.

  3. Se Adriano calava os argentinos nos acréscimos da final da Copa América, Juan fazia os argentinos chorarem marcando o pênalti decisivo pro título.

  4. O Murilo era uma promessa do vôlei enquanto o irmão Gustavo era já uma grande realidade.