Diário dos Mundiais #17 – Brasil x Rússia. Ponto a ponto

Diário dos Mundiais #17 – Brasil x Rússia. Ponto a ponto

Polônia. Katowice. Spodek Arena. Domingo. Mais de 10 mil torcedores nas arquibancadas, ocupando lugares que podem receber 11 mil. Brasil e Rússia em quadra. Aquecimento. Russos fazem roda de bobinho. Muserskiy mostra alguma habilidade com o pé e a cabeça. Brasileiros fazem alongamento, parecem sisudos. DJ faz “O Show das Poderosas” ecoar pelo ginásio. Hinos Nacionais. Apita o árbitro.

Notícias do Mundial? Melhor do Vôlei

Primeiro set. A torcida polonesa é brasileira. O Brasil emenda um ace após outro. São seis no primeiro set. Serão nove no total. Três de Bruno. O Brasil vai abrindo. 14 a 7, 16 a 8, 18 a 10. A Rússia responde saque forçado com saque forçado. Muserskiy pontua no saque. Consegue dois aces na partida. O time, cinco. O placar fica em 19 a 15 para o Brasil. A reação russa para por aí. O set é brasileiro por quatro pontos de diferença.

Segundo set. Outro jogo. Entrada de Savin equilibra o jogo para a Rússia. Ponteiro marca dez pontos e dá trabalho ao bloqueio brasileiro. Wallace torce o pé, descendo do bloqueio. Cai gritando de dor. Vissotto entra em seu lugar. Wallace sai de quadra pisando com o pé lesionado, talvez tenha sido só um susto. A Rússia assume a dianteira no placar. Moroz, que já era o oposto reserva, se contunde no set point. Sai do ginásio para o hospital. A Rússia fecha o set. Em sets e jogadores contundidos, um a um.

Terceiro set. Muserskiy não é o oposto russo. Ilinykh volta à quadra e faz a função. O Brasil passeia. Abre 16 a 10 e administra. Vissotto comanda a vitória no set. Marcou 15 pontos no jogo.

Quarto set. Éder no lugar de Sidão. Sidão sentiu algum incômodo no joelho e pediu para sair. Murilo também sai. É lesão na coxa, preocupa. Muserskiy ataca pela saída. Antena. Ataca de novo. Invade área de ataque. Não é tão fácil quanto pareceu em Londres. O Brasil abre boa vantagem. O saque brasileiro continua infernal. E o Brasil venceu.

Brasil 3, Rússia 1. Em sets e contusões.

O jogo não valia muito para a tabela, mas valeu a invencibilidade do Brasil. E pode ter sido a prévia de um novo confronto, num novo domingo. De novo em Katowice. Quem sabe? Certo, mesmo, é que se enfrentem na próxima fase, em Lodz.

**********

ELIMINAÇÃO Zebra no vôlei? Olhe que tem. E os EUA, hoje, foram vítimas de uma branca e azul. Quem diria que a Argentina, eliminada do mundial com quatro derrotas, tirariam os campeões da Liga Mundial do caminho? Os americanos só dependiam de si mesmos e perderam a vaga num tie break dramático, com um video check polêmico – com 10-9 para a Argentina, o árbitro marcou bola dentro dos EUA, a Argentina conseguiu revisão no vídeo, mas o árbitro não percebeu que a bola, mesmo fora, tocou no bloqueio. No fim, os dois voltam para casa.

**********

SORTEIO, ESTRANHO SORTEIO As bolinhas decidiram a formação dos grupos da próxima fase. Nada mais justo para um campeonato tão longo, de regulamento tão criticado, que a sorte definisse quem enfrenta quem e onde.

Enquanto Brasil, Polônia e Rússia se enfrentam em Katowice, França, Irã e Alemanha, em Lodz, a partir de terça-feira. Ou seja, o sorteio escolheu dois times segundos colocados para o Brasil, enquanto para a França, dois terceiros. Muito estranho.

Olha como estava a tabela. Ela marcava os jogos para a terceira fase, prevendo um primeiro, um segundo e um terceiro em cada grupo. Clique na foto para ampliar.

tabela

 

Tabela da terceira fase. Todos os jogos às 15h25, horário de Brasília.

Dia 16 – Brasil x Polônia; França x Alemanha
Dia 17 – Brasil x Rússia; Irã x Alemanha
Dia 18 – Polônia x Rússia; França x Alemanha

Atualizado às 19h53

This article has 1 comment

  1. Fórmula bizarra e sorteio estranho, lamentável.

    Agora é uma pena os EUA terem sido eliminados, ainda mais num lance polêmico em que a bola do Anderson claramente tocou no bloqueio, só não entendi o porquê dos árbitros não terem aceitado o desafio do time americano logo em seguida, enfim, o time americano tem bastante potencial e promoveu a entrada de dois jovens e grandes jogadores: Sander e Christenson, único problema continua sendo a outro ponteiro, nem Rooney nem Lotman tem bola para ser titular.