Diário dos Mundiais #4 – Brasil vence fácil o mais difícil

Diário dos Mundiais #4 – Brasil vence fácil o mais difícil

Problemas, mesmo, só no começo do jogo, quando passe e ataque brasileiros não se achavam. Mas quando o meio de rede brasileiro entrou em ação, o jogo fluiu. O placar de 3 a 0 e as parciais de 25/21, 25/19, 25/17 não deixam dúvida da superioridade da Seleção Brasileira sobre a Alemã, em Katowice, na abertura do Grupo B.

“Vocês estão com este papel?”, perguntou o técnico da Alemanha, o belga Vital Heynen, apontando para as estatísticas do jogo. “O Brasil foi melhor no ataque, no bloqueio, na defesa. Foi superior”, arrematou, arrancando risos na entrevista coletiva, depois do jogo.

O principal nome do Brasil na partida foi o central Lucão. Quando o jogo ainda estava enroscado, quando o Brasil não tinha ainda quebrado o gelo e quando o saque alemão quebrava o passe do Brasil, Lucão marcou cinco pontos consecutivos, virando para 12 a 10 o primeiro set. A partir daí, o Brasil não saiu mais da dianteira do set. E venceu as outras duas parciais com muita folga.

O bloqueio brasileiro também estava agressivo, só permitiu ao oposto adversário, Grözer, nove pontos de ataque. No total, foram 11 pontos brasileiros no fundamento. A Alemanha,  por outro lado, concedeu um set inteiro ao Brasil, com 25 erros no total.

A vitória ficou tão fácil, que os erros de passe de Murilo, Mário Jr. e Lucarelli correm o risco de passar despercebidos. Mais para frente, se não for resolvido, esse vai ser o calo da Seleção. Mas, nesta primeira fase, contra times em teoria mais fracos que o de hoje, não.

**********

DOIS LÍBEROS Depois do jogo, Bernardinho afirmou que pretende continuar usando dois líberos por partida, mesmo abrindo mão de um ponteiro (hoje, Lipe estava no banco e Mauricio, fora), mantendo o revezamento entre Mário Jr. para a recepção e Felipe, defesa.

 **********

TRILHA SONORA Nada contra, só uma pergunta: quem escolheu a trilha sonora da entrada do Brasil, no ginásio? Quando o time se apresentou para a torcida, o DJ atacou de “Show das Poderosas”. Em seguida, enquanto o time se aquecia para a partida contra a Alemanha, ele emendou com o “Rap das Armas”, canção cujos versos rezam: “Seja de ponto 50 ou então de ponto 30/ Mas se for Alemão eu não deixo pra amanhã/ Acabo com o safado dou-lhe um tiro de pazã/ Porque esses Alemão são tudo safado/ Vem de garrucha velha dá dois tiro e sai voado”.

 **********

FALHOU DE NOVO Complicada a vida de quem acompanha o mundial de vôlei pelo site da FIVB. Se houve problemas na partida de abertura, no sábado, pioraram substancialmente no domingo. Primeiro, o mesmo problema da ausência das estatísticas jogador a jogador e time a time se observou na vitória dos EUA por 3 a 2 sobre a Bélgica. Mas, no jogo entre Austrália e Camarões, se agravou.

Com o jogo marcado para 20h15 (15h15, horário de Brasília), o perfil do oficial do campeonato, no twitter, quase 20 minutos depois do previsto para o início da partida, publicava fotos de torcedores como se esperasse o jogo começar, e o site do torneio mostrava o placar zerado. Era como se houvesse algum atraso para o início da partida. Mas não havia. O jogo seguia normalmente. Até a Federação Australiana de Vôlei reclamou da mancada no twitter.

twitter austrália v camarões

Só no início do segundo set é que o site oficial passou a mostrar o placar – mas não as estatísticas individualizadas.

 **********

FERIMENTOS NO GRUPO DA MORTE Quem gostou do domingo do Grupo D foram os times do Grupo A. Como os resultados entre classificado se acumulam para a fase seguinte, há grande chance de Itália e EUA encararem as seleções da chave polonesa, respectivamente, já com uma derrota e um ponto perdido na bagagem. Por outro lado, o Irã, com a vitória sobre a Itália, deu um passo que pode ter sido decisivo para avançar à segunda e que dá margem para o time sonhar em chegar à terceira fase do campeonato – o que já o deixaria entre os seis melhores do mundo.

Amanhã, EUA e Irã se enfrentam no início da tarde e a Itália encara a França, no último jogo do dia na Cracóvia. Dois campos minados para dois dos candidatos ao título. Argentinos, sérvios e poloneses assistem com atenção.

 **********

75 ANOS Em 1º de Setembro de 1939, os nazistas atacaram a Polônia, e teve início o período mais sombrio da História da Humanidade. Por seis anos, dali em diante, os mísseis e as balas foram mais fortes do que a caneta, e cerca de 60 milhões de pessoas, entre civis e soldados, morreram ao redor do mundo.

Em Gdansk, sede dos jogos do Grupo C do mundial, a primeira cidade bombardeada pelo exército de Hitler, prestaram-se homenagens pela cidade aos que morreram tentando combater os invasores.

This article has 2 comments

  1. Esse site do Campeonato Mundial de Volei Masculino é o pior que eu já vi. Desde 2004 que acompanho os sites dos campeonatos (olimpiadas, mundial, liga, grand prix, …) e esse é sem dúvida o mais fraco. Inúmeras informações faltando e quando existem, são bem dificies de serem achadas, sem falar que a maioria das informações estão desatualizadas.

  2. A impressão que eu tenho, Lauriclecio, é que dos dois um: ou quiseram REBUSCAR demais, fazer um negócio padrão NBA e deu tudo errado (a gente vê que há espaço, por ex., pra dizer não só quantos pontos o cara fez no ataque, mas também quantas bolas ele recebeu – se desse certo, seria um bom avanço); ou, então, isso foi de propósito, pra que as estatísticas ficassem privativas da imprensa, já que no intervalo entre cada set (mas só no intervalo) esses números são distribuídos entre os jornalistas.

    De minha parte, tô decepcionado com o site. Depois do que fizeram nas Olimpíadas, quando havia narração ponto a ponto, eu esperava, pelo menos, que a FIVB não jogasse fora o que ela mesma tinha construído no passar do tempo.

    Tomara que melhore pro resto do torneio ou, pelo menos, pro mundial feminino, embora eu não tenha mais esperança.