E o Volta Redonda, como fica?

E o Volta Redonda, como fica?
Volta Redonda: se isso foi falado na reunião da CBV, não sabemos a que conclusão de chegou (Foto: Divulgação)

Volta Redonda: se isso foi falado na reunião da CBV, não sabemos a que conclusão de chegou (Foto: Divulgação)

Através de seu site oficial, a CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) divulgou nesta quarta (14) algumas novidades sobre a próxima Superliga. As principais delas são o prolongamento até sexta (16) do prazo para Jacareí apresentar as garantias financeiras para participar da competição e a confirmação da diminuição dos sets de 25 para 21 pontos. O que me chamou atenção mesmo, porém, foi a ausência de informações sobre o caso Volta Redonda.

Para quem não sabe, a equipe fluminense tem travado uma batalha jurídica com a CBV pelo direito de participar da principal competição de clubes do país. Depois de ser excluído da próxima edição do torneio por não ter quitado todos os débitos com os jogadores que contratou na temporada passada, o time tenta garantir seu lugar “à força”.

Mais notícias de vôlei? Melhor do Vôlei

O patrocínio que nunca existiu e a triste situação de Jacareí

É claro que a história tem várias nuances. Uma delas é que o pessoal de Volta Redonda alega que os atrasos e calotes aos quais os atletas foram submetidos, na verdade, serem conseqüência de um ato digno do clube Volta Redonda, que teria dado continuidade do projeto depois de a Prefeitura local cortar verbas para o vôlei devido a uma briga política (clique aqui para entender melhor).

A segunda nuance, para mim, é o fato de a não-participação do time na próxima Superliga significar o desemprego de vários jogadores já contratados, incluindo alguns dos que passaram perrengue nos últimos meses. Preocupados com a situação, eles, inclusive, chegaram a ter uma conversa com dirigentes da CBV para falar sobre o assunto.

Sem dúvida, trata-se de uma situação muito complicada, mas…

Na minha opinião, é preciso ser duro e isso significa que o Volta Redonda tem que ficar fora da Superliga até que todos os débitos sejam quitados, já que o próprio regulamento do torneio diz que “a equipe que estiver com pendência no ano anterior não poderá se inscrever”. Abrir qualquer tipo de exceção significa um precedente gigantesco para que várias sacanagens sejam feitas em outros clubes no futuro.

Não estou aqui para julgar ninguém e até acredito que a versão do pessoal do Voltaço seja verdadeira, uma vez que até então o time nunca havia apresentado problemas deste tipo. Porém, um esporte do porte do vôlei não pode ficar refém de “gambiarras” como as admitidas pelo eles mesmos, como emprestar o CNPJ para viabilizar o financiamento da Prefeitura local. À época, pode até ter sido uma atitude bacana para desburocratizar todo o processo, mas olha aí o que aconteceu…

Lamento pelos atletas que já fecharam contra o Volta Redonda, mas uma atitude firme agora significa uma melhor condição para eles mesmos no futuro. A julgar pela falta de notícias nos últimos dias, a situação não deve ter mudado e continua em vigor a liminar que deixa a equipe fora da Superliga. É um acerto da CBV e espero que continue assim.

This article has 3 comments

  1. Essa mudança de 25 para 21 pontos por set é tão ridícula como inexplicável. Lamentavelmente a CBV insiste em caminhar prá trás, vai a passos largos pro afundar nosso voleibol. Se relacionar e criar dependência com uma emissora nefasta como a Globo é péssima ideia. A Globo não se importa com o esporte, não se importa com o país, não se importa com o povo. É uma emissora perversa, manipuladora e só vê números.

  2. Se a mudança de 25 para 21 pontos for uma atitude de vanguarda.
    Ótimo… Estaremos a frente de outras equipes na questão de adaptação ao novo ritmo de jogo.
    Se não for… Estaremos nos enterrando num buraco que foi cavado pela Globo.
    Um absurdo uma emissora definir os pontos de um set e o “jogo único na final”, depois de tantos meses de investimentos pelo clube e doação dos atletas.
    Cadê os patrocinadores para brigarem por uma final melhor de 3?!
    Eles seriam os mais favorecidos se aumentassem a quantidade de jogos finais!
    A Globo impõe uma mudança tão brusca como essa pra continuar a exibir: Rio x Osasco e SesixCruzeiro, no masculino, na fase de grupo. Depois 1 semifinal de cada gênero e os jogos finais.
    Será que é preciso mesmo?!
    Porque Sportv grade para exibição é o que não falta… Pq melhor passar um jogo de 2hs de vôlei do que reportagens repetidas enézimas vezes ou jogos do combinado de Biuzinho x amigos de Toinho!
    Globo… Melhore!
    CBV… Decepção. :(

  3. Roberto Mauro de Sant'Anna Rocha
    sexta-feira 16 agosto 2013, 9:52 pm

    Querem diminuir os pontos dos sets de 25 para 21 alegando que os sets são muitos longos e estão atrapalhando os patrocinadores das emissoras que transmitem o evento. Se foi instituidos as “paradas tecnicas” para haver o “tempo dos patrocinadores”? Porque nestes “tempos” não entram com as ´propagandas”? Em vez de ficarem colocando os tecnicos dando instruções para suas equipes? Tempo… tem… e eles, os transmissores dos eventos é que ficam “roubando” o tempo dos patrocinadores querendo colocar a “voz” do tecnico em vez dos patrocinadores. Isso, pelo visto, deve ser mais uma armação da GLOBO, que se acha no direito de se intrometer em tudo que é esporte para “manipular” o horário para “passar” suas “ridículas novelas”.