Estrelas sonham com descanso, mas Zé Roberto quer seleção completa ainda em 2013

Estrelas sonham com descanso, mas Zé Roberto quer seleção completa ainda em 2013
Zé acredita que ausência de um ano seria ruim para jogadoras da seleção (Foto: Divulgação/CBV)

Zé acredita que ausência de um ano seria ruim para jogadoras da seleção (Foto: Divulgação/CBV)

(Matéria originalmente publicada no Portal R7. Clique aqui para ler)

Conquistado o bicampeonato olímpico em Londres 2012, algumas das principais jogadoras da seleção brasileira feminina de vôlei falaram abertamente que não gostariam de participar do primeiro ano do novo ciclo do time nacional. A ideia era descansar um pouco do intenso ritmo de jogos e treinamentos aos quais às atletas são submetidas em anos que defendem clube e a seleção, já que nessas ocasiões dificilmente são obtidos mais de 15 dias seguidos de “folga”.

De fato, nos dois primeiros meses da temporada de seleções, o técnico José Roberto Guimarães atendeu ao pedido: presenças certas na convocação, as remanescentes do título de Pequim 2008 Fabiana, Thaísa, Jaqueline, Sheilla e Fabi ganharam o sonhado descanso e não foram chamadas. O treinador, porém, já adiantou que dificilmente fará o mesmo no segundo semestre, quando a seleção joga o Grand Prix, o Sul-Americano (classificatório para o Mundial) e a Copa dos Campeões:

Mais notícias de vôlei? Melhor do Vôlei

O Vôlei Amil vai acabar com a supremacia de Sollys e Unilever?

- Fiquei de conversar com as meninas pra poder adequar para elas e também para a gente, pois pode ficar bom para todo mundo. O que eu não gostaria é que elas ficassem o ano inteiro fora da seleção para não distanciar muito. A ideia seria ir com a força máxima para o Sul-Americano (em setembro) e também na terceira e quarta fase do Grand Prix (a partir de 16 de agosto).

Segundo Zé, mesmo longe, as principais atletas do Brasil estão sendo acompanhadas pela comissão técnica da seleção:

- Na verdade, elas já estão fazendo uma base física há algum tempo, já com uma direção do Zé Elias (preparador físico). O Fabio, que é o assistente dela, está em contato constante com elas e isso vai ajudar bastante.

Mesmo sem suas principais jogadoras, a seleção brasileira conquistou os dois títulos que disputou este ano, o Montreux Volley Masters, na Suíça, e o Torneio de Alassio, na Itália. O treinador gostou do que viu, apesar de a maioria dos rivais também ter poupado suas estrelas:

- O grupo foi muito bacana, eu fiquei apaixonado, até nos treinos elas tinham muita vontade. Algumas equipes foram com 50, 60% de sua força, mas deu pra gente ter uma base de como as coisas estão caminhando, de conversar com os técnicos e ver o que eles estão planejando.

This article has 2 comments

  1. Acho válido, uma vez que Copa dos Campeões e Sulamericano são campeonato importante. O primeiro vale um bicampeonato, pois já vencemos em 2005 com Sheilla sendo MVP e maior pontuadora, além de Sassá com o melhor saque. Já o Sulamericano é aquilo: vale vaga pro Mundial, título tão almejado por nós, não dá pra arriscar com time misto. Zé tá certo e eu louco de saudades de ver essas guerreiras em ação novamente!!!

  2. Uhuuu! Excelente postagem, Carol! Até hoje ninguém havia explicado bem essa historia de trazer as veteranas. Agora eu sei a razão disso graças a você.

    Não precisa trazer todas. Se a questão é apenas garantir a vaga no Mundial, precisamos de volta apenas de uma central, já que Adenízia é irregular no ataque, e de mais uma ponteira para o caso da Priscila jogar mal.

    Tandara dará conta da saída de rede no Sulamericano, e tem a Joycinha aí. Essa criatura, que nem tem mais idade pra ser chamada no diminutivo, nunca disputou um campeonato de titular na seleção “A”. Nunca foi posta a prova. Deixem a Sheila curtir a vida de casal um pouco mais!

    Alguém precisa por na cabeça do Zé que ele tem que usar e abusar dessas novatas. So porque a Elen foi mal em um jogo não quer dizer que será sempre assim. Ele não a usou mais depois de sua estreia ruim.