Fim de semana perfeito em São Paulo

Fim de semana perfeito em São Paulo

Não bastasse a sorte de receber quatro das cinco primeiras colocadas do vôlei feminino nas Olimpíadas de Londres, São Paulo ainda teve no último fim de semana o privilégio de ser o palco de algumas das melhores atuações do Brasil nos últimos tempos. Se é verdade que a Coreia vive uma enorme “Kim dependência” e a Rússia ainda está longe do auge, a vitória contra os Estados Unidos deixou claro que este time comandado por José Roberto Guimarães está no caminho certo.

Dani Lins, Sheilla, Jaqueline, Fernanda Garay, Fabiana, Thaisa e Camila Brait. Difícil dizer quem brilhou mais no ginásio do Ibirapuera. Depois de atropelar os rivais teoricamente mais fáceis na sexta e no sábado, a equipe verde-amarela mostrou sua força em momentos de pressão quando o bom time dos Estados Unidos complicou o segundo e, principalmente, o terceiro set do jogo realizado no Dia dos Pais.

Mais notícias de vôlei? Melhor do Vôlei!

Surpresa por saída de Fabi da seleção, Camila Brait encara desafio com naturalidade

Saque incômodo, ótima recepção, distribuição equilibrada, bloqueio e defesas eficientes. Tais elementos foram mostrados pelas donas da casa durante toda a segunda rodada do Grand Prix. Depois de um começo de temporada instável, a seleção brasileira encaixou seu jogo e já desponta como favorita absoluta ao título do torneio. Para o Mundial, a história é outra, mas já é possível dizer que só uma tragédia fará este time protagonizar um vexame na Itália.

Lógico que nada está garantido. Primeiro, é importante que o bom momento não suba à cabeça das jogadoras porque o título que mais interessa ainda vai demorar algumas semanas para ser disputado. Segundo: o time ainda desperdiça contra-ataques demais, o que causou em parte a resistência oferecida pelas americanas. Terceiro: testar reservas é essencial, afinal lesões (toc, toc, toc) sempre podem acontecer.

A tabela, porém, favorece o trabalho de todos estes elementos: depois de mais um teste contra as americanas na sexta (15), o Brasil terá a República Dominicana e a Tailândia pela frente no próximo fim de semana, uma ótima oportunidade de rodar o elenco. Nas finais, uma nova gira contra alguns dos principais adversários do Mundial permitirá maior observação in loco visando o Mundial.

Ao menos neste momento, o que sobra é otimismo. Espero que continue assim.