Luizomar: críticas à “final de sempre” são injustas

Luizomar: críticas à “final de sempre” são injustas
Luizomar criticou o imediatismo de títulos de outras equipes (Foto: Fabio Rubinato/AGF/Divulgação)

Luizomar criticou o imediatismo de títulos de outras equipes (Foto: Fabio Rubinato/AGF/Divulgação)

Faltando pouco mais de uma semana para a decisão da Superliga feminina de vôlei, o técnico do Sollys Osasco, Luizomar de Moura, tenta se manter totalmente focado na partida única contra a Unilever. Porém, é impossível escapar das perguntas sobre o quão prejudicial ao vôlei seria a nona final seguida entre os dois times.

Apesar de Osasco estar com a postura de não comentar o ranqueamento das atletas até a partida, “por considerar o assunto inadequado para o momento”, Luizomar defendeu o seu ponto de vista. Para ele, não se pode tirar o mérito de paulistas e cariocas por tanto sucesso nos últimos anos:

- O fato de essas duas equipes estarem sempre nas finais é pela qualidade das estruturas que foram montadas e por não haver o imediatismo por títulos. Já tivemos uma lacuna sem vencer competições, o próprio projeto do Rio de Janeiro ficou dois ou três em Curitiba também sem vencer competições e essas empresas continuaram investindo. Então, isso é fruto do carinho que cada estrutura tem pelo voleibol

CLIQUE AQUI PARA LER A MATÉRIA COMPLETA

Trata-se de uma opinião parecida com a qual apresentei logo após as semifinais da Superliga. Isso não significa que mudanças não precisam ser feitas: elas são urgentes e devem ser discutidas logo na segunda-feira após as finais feminina e masculina, com a participação de dirigentes todos os times, representantes da CBV, técnicos, empresários e jogadores. Só acho que é simplório demais jogar boa parte da culpa de problemas graves em dois projetos que, apesar de não serem perfeitos, já fizeram muito pelo voleibol brasileiro. Para mim, Sollys e Unilever são parte e não a causa do problema.

Leia mais: o drama de Jaline na Itália
Mais notícias? Melhor do Vôlei!