O desabafo de uma atleta

O desabafo de uma atleta

clarisse 450x338
Reproduzo abaixo um texto publicado pela jogadora Clarisse Peixoto (ex-Osasco, São Caetano, Vôlei Futuro e atualmente na França) no Facebook nesta quarta (3). Interessante perceber que a crise do vôlei brasileiro vai muito além de falar ou não o nome de patrocinador na TV…

Mais notícias de vôlei? Melhor do Vôlei

O segredo do sucesso de Tandara: 6kg a menos

“E tem um monte de jogadores fora do Brasil fazendo história no voleibol,se dedicando,trabalhando duro pra fazer o que ama,longe da família,do país,lutando por um espaço.E enquanto isso no Brasil um país tão grande e cheio de recursos , vivendo uma crise no esporte que é campeão olímpico. Como assim gente? Como o BRasil só tem 10 equipes femininas na superliga ?Bizarro!
Onde vamos parar ? Vai chegar um dia em que todos jogadores vão ter que sair do país? Não, isso não aconteceria ,os da seleção continuaram ganhando absurdos e rodando nos mesmos times,assim como os técnicos. Os novos talentos ficarão no banco como sempre,até o dia que se tornarem “velhos” e ai vão pro exterior ou para times menores e serão taxados de promessas que não deram certo, mas pera ai, não deram certo??como assim?? Não deram certo porque?falta de oportunidade ,talvez falta de confiança , que cá entre nós ,confiança e cumplicidade são duas palavras inexistentes na relação técnico e atleta. Logo no inicio de sua carreira você é rotulado, rótulos que pra tirar só morrendo e nascendo de novo! Ou você baba eles ou não serve,opnião você nunca pode ter e se tiver guarde pra você,expor seus pensamentos numa reunião de vestiário é pedir pra ir pra forca , ainda bem que estamos no século XXI ,senão fogueira nelas! Pois é,infelizmente é assim! E porque será que alguns jogadores “não dão certo” no Brasil mas arrebentam no exterior?? Gente, tem muito atleta bom jogando fora do Brasil. Vocês imaginam todos esses jogadores atuando no Brasil??ia ser realmente uma SUPERliga, sim SUPER,porque agora é só liga,a parte do super foi esquecida, agora é so liga dos mesmos técnicos ,mesmas atletas,mesma patifaria da CBV,das federações e por ai vai… Taxas absurdas,times que não se sustentam , atletas que não lutam pelo outro, tem atleta ai que tem poder pra ajudar a mudar muita coisa,mas a única vontade dele é aumentar seu próprio salário e o resto que se vire… Cada um por si sempre! Eu espero que nunca esse atleta jogue mal,tenha má fase,machuque gravemente,perca o prestigio e envelheça . 
Brasil o país da hipocrisia , um país pra poucos!”

Você concorda com a opinião da jogadora?

This article has 14 comments

  1. Está certíssima, é um comentário bem oportuno… à cada ano uma equipe perde patrocínio e os atletas ficam sem clube e precisam sair do país se quiser jogar. Tá na hora de juntar forças, esquecer que são adversários e lutarem por um mesmo objetivo. A rivalidade pode ficar restrita às quadras!!! #Go Clarice

  2. Luis Renato Matusiak Monteiro
    sexta-feira 5 abril 2013, 1:07 pm

    Se não olharmos para os clubes formadores de atletas o esporte vai acabar. É muito fácil contratar jogadores e é isto que os clubes da superliga estão fazendo. Não formam ninguém. Depois dos 20 anos nenhum atleta tem chances, porque não se cria uma categoria entre o juvenil e o adulto.

  3. Beto Volei Alves concordo plenamente, só dois time faz final de superliga, se os clubes nao der chance as atletas novas, o volei vai acabar, nao temos clubes na regiao norte do pais, nao temos clubes do nordeste, agora q a regiao centro oeste tera uma equipe no masculino, vamos acordar volei brasileiro, muitos paises estao levando atletas nosso p jogar fora, vamos fazer uma superliga juvenil, e infanto de clubes.
    tem poucos tecnicos trabalhando base no brasil, pois cada clube teria q ter suas bases, pois todos os clubes pega jogadora pronta, e tem q ser prontas pq se tiver alguma deficiencia tecnica ou tatica ou movimentos errados ja nao serve para os tecnico, quantos atletas boas e nova estao nos banco ou nem oportunidade tem de jogar em clubes, ano passado foi fernanda venturine, esse ano fofao, ate quando isso vai acontecer…acordaaaaa volei brasileiro.

  4. EU TENHO UM FILHO BI CAMPEÃO NACIONAL DE VOLEIBOL PELA SUPER LIGA..JOGOU NA FRANGOSUL E NA ULBRA. HOJE É ESPECAIALISTA EM PILATES E EDUCAÇÃOFISICA, TEM DOIS ESTUDIOS PILATES…AS MEDALHAS, CAMISETAS E TROFEUS, DEIXOU NA MINHA CASA, ELE NÃO FALA EM VOLEIBOL, SERÁ PORQUE???? ESTÁ FRRUSTADO????
    EU CONVORDO PLENAMENTE COM A JOGADORA QUE DESABAFOU POIS O VOLEIBOL HOJE VIROU ESPORTE DE CONSUMO, ABRE E FECHA TIMES NA HORA QUE O EMPRESÁRIO QUER.
    OUTRO ABSURDO QUE EU NÃO CONCORDO, É QUE O PATROCINADOR AJUDA, INVESTE PARA APARECER E ESSAS TELEVISÕES QUE TEM MATADO O ESPORTE, NÃO ADMITE PRONUNCIAR O NOME DO PATROCINADOR, COMO: PIRELLI, BRADESO, SEI LA..BANCO DO BRASIL. E OUTROS. PORQUE ? SÓ ELES QUEREM FATURAR EM CIMA DOS ATLETAS E DOS PATROCINADORES DOS CLUBES. EU NÃO ADMITO, É UM ABSURDO..PROF VILSON BAGATINI PÓS GRADUADO COMO TREINADOR DE VOLIEBOL-FUTEBO E HANDEBOL.
    VILSONBAGATINI@TERRA.COM.BR

  5. Concordo com ela .mais nos podemos fazer o que a nçao ser desabafar isso nunca vai mudar,

  6. paulo armando almeida
    sábado 6 abril 2013, 12:24 pm

    é necessário uma limpeza completa no esporte brasileiro…quem fará isto…o governo?? é confiável??…sempre vai prevalecer o interesse de patrocinadores que se submetem aos esquemas dos dirigentes…quantos aos atletas prejudicados…azar deles!! terão espaço aqueles que de uma forma ou outra acabam participando da sujeira…eles sabem que é esquema…quem reclama, não joga…terão que fazer como aqueles que vão embora do país… o governo ,ignora…continua liberando milhões e milhões de reais e finge que não sabe de nada…a exemplo do antecessor…

  7. A falencia da Ética em nossa país pode ser a causa, visto as faculdades tentarem formar um jovem nao de forma integral, mas apenas para responder ‘as necessidades imediatas de mercado. Desta forma os que sobem ao poder somente pensarâo nos prprios interesses! Do contrário, se fomentarmos em novos estudantes, nos futuros dirigentes, ou futuros atletas a ética do esporte, o sentido de tudo poderá mudar no futuro que a eles pertence, os agentes de mudança!

  8. Concordo com ela. E isso sem falar no volêi de praia, que trouxe medalha para o Brasil em todas as Olimpíadas e agora caminha para o naufrágio. Atletas são intimados a ficarem confinados por vários dias em um centro de treinamento, longe da família, longe de casa e sem poder fazer qualquer outra atividade. E a atletas olímpicos, como Juliana ( da ex- dupla juliana e Larissa medalhistas de bronze), vetados de participarem de competições mundias. É inacreditável que uma atleta consagrada e vencedora, como Juliana, ainda no auge de sua carreira, seja impedida e de representar o Brasil!

  9. Estou estupefato com a coragem dessa mulher! Me surpreendeu. A atual geração feminina é formada por grandes atletas fisicamente, porém sem nenhuma personalidade. Ninguém tem coragem de abrir a boca pra contestar nada. Nem de longe lembra a geração de bronze, contestadora, politizada e que não tinha papas na língua.

    Que surjam novas Anas Moser e Fernandas Venturines, porque essa geração aí é robotizada.

  10. Os grandes atletas que conhecemos foram descobertos em times pequenos que através dos anos têm cumprido esta missão, mesmo sem receber verbas de grandes patrocinadores. Os patrocinadores são predadores, fazem e desfazem equipes ao seu bel prazer, apenas para obter isenções e ter o nome veiculado. Imaginem um jogo que dura mais de uma hora, com estas marcas estampadas nas camisas. Se tivessem que pagar pelo tempo de exposição com certeza teriam que gastar mais do que o que desembolsam para manter as equipes. Um exemplo recente foi o Mackenzie, que acabou e teve todas as suas atletas contratadas por times maiores. O trabalho do clube continua, descobrindo talentos, que só ganham maior visibilidade na mídia esportiva quando estão num clube como o Unilever, Osasco ou Campinas. Quando não estão nestes clubes são apenas bons atletas, as famosas “promessas” que nunca se concretizam.

  11. A Clarisse foi muito corajosa, mas infelizmente vamos continuar assim, pois os dirigentes dos clubes que poderiam contestar a CBV não o fazem.

  12. Pessoal, obrigado pela contribuição de todos. E esperemos que surjam mais Clarisses, pois só assim as coisas podem começar a mudar no vôlei

  13. Pessoal, o desabafo da Jogadora é legítimo mas, a forma como vocês vêm o atual momento do vôlei brasileiro é exageradamente pessimista. Concordo com categoria de base forte e respectivo campeonato e etc. Me perdoem , temos hoje jogando a Superliga a maioria de nossas grandes jogadoras e surgindo revelações sim. No exterior também temos boas jogadoras atuando , no entanto, atualmente a nata se encontra no Brasil. Comentaram de jogadoras experientes ocuparem lugares de jovens promessas, isso significa que a Fofão não deve jogar por ter 43 anos ? Me apontem uma levantadora melhor que a Fofão atualmente.

  14. Marco Aurélio Andrade
    terça-feira 9 abril 2013, 6:35 pm

    Concordo com todos. Milito no vôlei a 32 anos, fui atleta, sou técnico e dirigente de um clube formador em Minas Gerais, e entra ano e sai ano as coisas vão acontecendo do mesmo jeito, clubes “grandes” (predadores) buscando atletas de “graça”, dos clubes considerados “pequenos” (formadores), mas infelizmente nossas leis não favorecem aos clubes formadores nos esportes considerados especializados e muito menos nossas entidades esportivas, apenas os clubes de futebol estão protegidos por lei. E a tendência é que em breve vai começar a faltar atletas para reposição nestes clubes predadores e também na própria seleção brasileira; a cada ano vários clubes formadores estão desaparecendo no cenário do voleibol, principalmente aqui em Minas Gerais, vou citar alguns clubes que deixaram de existir no voleibol mineiro e eram grandes reveladores de atletas: Clube Bom Pastor de Juiz de Fora, Montes Claros T.C., Formiga T.C., Olimpic de Barbacena, Estrela do Oeste Clube de Divinópolis, A.A. Caldense de Poços de Caldas, Athtletic de São João Del Rei, Valeriodoce de Itabira, Uberaba T.C., Philadelfia de Governador Valadares, Clube Sparta de BH, Clube Recreativo de BH, Clube Ginástico de BH, dentre outros mais….Lembrando que a nossa Lei de Incentivo ao Esporte Brasileiro pelo Ministério dos Esportes favorecem apenas aos grandes clubes como Pinheiros, Minas, Sogipa, Cruzeiro, Atlético, etc…, quem mais precisa dos recursos não chegam, por isso se os nossos dirigentes e politicos do nosso esporte nacional não fizerem alguma coisa, não só no voleibol mas também nas demais modalidades a tendencia é que os clubes formadores ainda existentes que em breve irão morrer como os outros. E com relação aos patrocinadores das equipes da Superliga, acho que eles tem menos culpa, que os nossos dirigentes esportivos dos clube e da CBV, porque eles é que tinham que definir as regras e as normas e não as televisões. Uma das soluções seriam obrigar essas equipes em manter pelo menos três categorias de base, como requisito obrigatório para participar da Superliga seja masculino ou feminino, inclusive com participações em competições oficiais nas suas respectivas federações. Uma outra solução seria realizar uma competição paralela nas categorias de base com os clubes da Superliga, lógico que não poderia ser no mesmo formato dos adultos.