Retrospectiva 2012: O ano em que o mundo foi laranja

Retrospectiva 2012: O ano em que o mundo foi laranja

(Foto: Divulgação/FIVB)

Se no futebol, o ano de 2012 foi do Corinthians (admito isto com dor no coração, palmeirense que sou), no vôlei é inegável que este posto pertence ao Sollys Osasco. Tudo o que disputaram, ganharam: Superliga, Sul-Americano, Mundial e Paulista.

Retrospectiva 2012: O dia que o gigante acordou

Retrospectiva 2012: o dia que o campeão voltou

Confesso que no início da temporada 2011/2012, via um favoritismo maior para a Unilever: afinal, o time acabava de promover a volta de Fernanda Venturini e contratara Mari, Natália e Sheilla. Acontece que, por diferentes motivos, nenhuma delas rendeu o que podia.

Enquanto isso, Osasco perdeu Sassá e por pouco não viu Jaqueline ir embora. Grande estrela trazida pela diretoria, a americana Hooker demorou para engrenar, mas compensou toda a desconfiança da torcida com uma atuação sublime na final da Superliga. A conquista, porém, não acomodou a equipe, que agiu rápido ao trazer Sheilla para o lugar da americana, que insistiu em sair, e mandou muito bem contratando Fernanda Garay quando o Vôlei Futuro se desfez.

Em resumo, a equipe virou uma versão laranja da seleção brasileira. Aproveitando-se do entrosamento vindo de meses de treinamento das meninas com José Roberto Guimarães, Luizomar de Moura mostrou competência ao entender o momento de cada uma delas na volta de Londres e, assim, faturou outras três taças neste segundo semestre. Depois, o cansaço e contusões minaram um pouco o desempenho da equipe, mas a recuperação não tardou e Osasco vai virar o ano na primeira colocação da Superliga.

Motivos para a boa fase continuar não faltam em 2013, mas estamos cansados de ver favoritos caindo no vôlei, especialmente o feminino. Você acha que Osasco vai ter um 2013 tão bom quanto 2012?

This article has 4 comments

  1. Vai ser difícil + o Osasco vai ser campeão contra o Rio de Janeiro no tie break de
    20-18 hahahaha

  2. Hooker insistiu em sair? Eu tinha lido por aí que ela queria ter ficado, e supostamente teria ficado magoada com a contratação de Sheilla.

  3. É um time lindo, com uma torcida linda e apaixonada. “O” time campeão!!!

  4. Oi, Breno. Desculpe a demora para responder. Osasco tentou e a torcida queria muito, principalmente depois daquela final da Superliga, mas ela preferiu ganhar dinheiro na Rússia. Não faria sentido um time investir nela e na Sheilla, são duas jogadoras caras e que atuam na mesma posição, por isso, a brasileira veio para substituir (e bem) a americana. Abs!