Sada vs. Brasil Kirin: quem leva a Superliga masculina?

Sada vs. Brasil Kirin: quem leva a Superliga masculina?

Um time que nunca havia chegado à final de uma Superliga versus o “papa títulos” do voleibol brasileiro nos últimos anos. Depois de cinco meses de jogos, Sada Cruzeiro e Brasil Kirin irão protagonizar o desfecho da competição de clubes mais importante do país neste domingo (10), às 9h40, no ginásio Nilson Nelson, em Brasília (DF).

Mais do que “quem ganha?”, a pergunta que está na cabeça dos fãs do esporte é: pode o Brasil Kirin superar a força cruzeirense? O histórico é amplamente favorável ao time mineiro nesta temporada, com três vitórias em três jogos, incluindo a final da Copa Brasil. Mas cada jogo tem sua própria história…

Mais notícias de vôlei? Melhor do Vôlei!

Seleção, decisão, temporada… O que foi dito após a final da Superliga feminina

Por isso, Carol Canossa e João Batista Junior fazem a análise do duelo deste domingo, destacando os pontos fortes de cada equipe. Você está convidado a participar deixando a sua opinião nos comentários!

Por que o Sada será campeão?
Por Carol Canossa

- Entrosamento

William, Wallace, Éder, Isac, Leal e Filipe, com Serginho como líbero. Todo fã de vôlei masculino sabe de cor o elenco do Sada. Sem grandes loucuras financeiras, o time de Marcelo Mendez tem como grande qualidade a longa manutenção de um grupo de excelentes jogadores. Não por acaso, levou duas Superligas, duas Copas Brasil, dois Sul-americanos e dois Mundiais desde 2013. A qualidade técnica, que ali é incontestável, se alia à experiência em jogos decisivos, o que torna a equipe muito difícil de ser batida. Lembrem-se que na semana passada o autocontrole na hora de decidir foi fundamental para o Rexona bater o Dentil/Praia Clube

- Descanso

Como se a superioridade técnica não fosse suficiente, o Sada ainda chegará à decisão mais descansado que os rivais, pois fez um jogo a menos na fase anterior. Foram quatro dias a mais de preparação que o Brasil Kirin, que precisou se desdobrar para eliminar o Funvic/Taubaté no tie-break do último jogo da semifinal. Essa diferença pode ser fundamental, especialmente se os mineiros impuserem um forte ritmo de jogo desde o começo.

- Agressividade

Se for jogar contra o Cruzeiro, prepare-se para ficar com os braços vermelhos. Afinal, o ágil levantador William tem um verdadeiro arsenal à disposição, com Wallace, Leal e os centrais Éder e Isac. Até mesmo o ponteiro Filipe, cuja função principal é garantir estabilidade na recepção, é capaz de eventualmente virar boas bolas. Trata-se de um verdadeiro pesadelo para a defesa e o bloqueio rivais, que precisa se desdobrar para minimizar o efeito de todo esse arsenal. Ah: vale lembrar que o Sada possui o saque mais eficiente da Superliga…

Por que o Brasil Kirin será campeão?

- Crescimento

O Brasil Kirin foi o time que mais evoluiu nessa reta final de Superliga. O time venceu cinco das últimas seis partidas da fase classificatória, tomou o terceiro lugar do Sesi e evitou um precipitado confronto semifinal contra o Sada Cruzeiro. Passou sem muitos problemas pelo Bento Vôlei/Isabela, nas quartas de final, e mostrou poder de reação, nas semifinais, vencendo de virada a série contra a Funvic/Taubaté.

O passe e a virada de bola do time melhoraram sensivelmente, e o jogo do levantador argentino Demián Gonzalez apareceu. Nos quatro jogos que venceu, nos playoffs, o aproveitamento da equipe no ataque sempre foi superior a 50% – o oposto Wallace Martins, sexto anotador de toda a Superliga, foi o segundo dos mata-matas, sete pontos atrás de Lucarelli.

- Favoritismo não ganha jogo

O Sada é inegável favorito, mas o Taubaté também era. E o Sada venceu todos os confrontos entre as duas equipes na temporada, assim como o Taubaté havia feito até o jogo 2 das semifinais. Além da já citada reação do Brasil Kirin no campeonato, cabe destacar que o time campineiro deu trabalho nas partidas anteriores, chegando a levar um dos jogos para o tie-break. A empolgação com a inédita chance de levar o título da Superliga pode fazer o time ir ainda mais longe, especialmente porque a pressão de vencer está toda do outro lado

- Sonho olímpico

Lucas Lóh, Tiago Brendle e Maurício Souza foram testados na seleção brasileira na temporada passada e sonham com uma vaga no time olímpico. O central, inclusive, é o segundo melhor bloqueador da Superliga e o melhor dos playoffs nesse quesito. Quer melhor cenário para mostrar a Bernardinho que merecem uma chance do que a grande decisão?