Sasha: marketing ou talento?

Sasha: marketing ou talento?

Ao menos, Sasha já sabe escolher bem seus ídolos no vôlei (Foto: Luiz Doro/adorofoto)

Em dias de disputas escassas nas quadras, me chamou a atenção a descoberta da decisão da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) em pré-convocar Sasha Meneghel para a seleção brasileira de vôlei de praia sub-19. Se ainda te resta alguma dúvida: sim, é a ela mesmo, a filha única de Xuxa, umas das personalidades mais famosas do Brasil.

Boa parte daqueles que acompanham o noticiário de vôlei sabem que não é de hoje que a garota, atualmente com 14 anos, se interessa pelo esporte. Em 2011, por exemplo, ela fez questão de acompanhar de perto a final tanto da Superliga feminina em BH.

Até aí, porém, todo mundo aqui gosta de vôlei e isso nem de longe significa que a gente jogue bem. Cabe então a pergunta: seria Sasha uma atleta juvenil realmente talentosa ou a convocação dela é apenas uma maneira de, no futuro, chamar a atenção do público em geral? Digo no futuro porque, ao menos por enquanto, a CBV tem, acertadamente, tratado Sasha de maneira bastante discreta.

A resposta, infelizmente, eu não possuo, pois nunca tive a oportunidade de vê-la jogar.

Sendo assim, vou trabalhar com fatos: em meados de 2011, quando Sasha foi chamada para atuar pela seleção carioca mirim, procurei o técnico da equipe, Walner do Santos para falar sobre o talento dela para o R7 (CLIQUE AQUI E VEJA A MATÉRIA COMPLETA). Claro que eu também gostaria de ter falado com a própria, mas acredite: é mais fácil, Gamova se naturalizar brasileira e virar a heroína do tricampeonato olímpico em 2016 que o cerco de proteção a Sasha da mídia ser rompido.

Isso ao menos por enquanto, claro, pois caso comece a se destacar e seguir carreira no vôlei, Sasha inevitavelmente terá que falar com a imprensa. À época, Walner deu boas referências dela, que atuava como uma das levantadoras no sistema 4 x 2, comum na base:

- Eu diria que ela tem um biotipo perfeito para o esporte: é alta e esguia. Também tem muita vontade de jogar, muita dedicação. Como levantadora, ela faz o arroz com feijão. É o simples, mas bem feitinho

Uma coisa legal, que foi falado não somente por Walner, mas também por outras pessoas, é o fato de Sasha agir como uma menina comum nos treinos e jogos, sem privilégios. É lógico que, por ser filha de quem é, ela sempre precisará de uma segurança reforçada, mas isso não significa que seja melhor do que ninguém. Ponto positivo.

Por outro lado, também é possível duvidar da convocação de Sasha para a seleção de vôlei de praia caso ela não tivesse a Xuxa como mãe. Quem tenta carreira no vôlei sabe como as coisas são difíceis e esta não é uma oportunidade comum por aí. Ser famosa desde que nasceu implica em certas vantagens, mas também cobra um preço, que é o de viver sob desconfiança em tudo o que faz e, consequentemente, ser mais pressionada que o normal.

Se jogar minimamente bem e não tirar a vaga de quem também merece apenas por ser a Sasha, acredito que a menina tem um futuro bacana pela frente no vôlei. Nem que seja como ferramenta de marketing para o esporte: estando sediado na mesma cidade que ela mora, não me surpreenderia se daqui a alguns anos, a Unilever anunciasse a contratação de Sasha. E não acho isso errado (até faria o mesmo), já que no país do futebol, é importante sempre recorrer a algo diferente para fazer sua marca alcançar um público mais amplo.

This article has 3 comments

  1. Ser filha de quem é, na minha opinião, só faz com que os dirigentes “olhem” com mais atenção.Mas, não significa que ela terá sucesso no esporte. Por acaso o filho do Pelé teve sucesso? Será Ronald, filho do Fenômeno, um grande jogador? O filho de Romário, do Bebeto, do Marcelinho Carioca terão o mesmo talento e sucesso que nossos ídolos? Enfim, pai e mãe famosa ajuda, mas talento e dedicação são outros 500!! Só o tempo e as experiências poderão dizer. Nunca vi a Sasha jogar, mas se foi convocada, que ela faça sua parte. Para ela, felizmente, jogar vôlei não é questão de sobrevivência.

  2. Pessoal, votem todos em seus jogadores favoritos na votação realizada pelo site italiano Volleyball.it. Há muitos jogadores brasileiros na lista. Aqui:

    http://www.volleyball.it/notizie.asp?n=55709&l=0

  3. Por enquanto, o único filho de famoso que vem mostrando serviço é o Nelsinho Piquet. Depois daquele episódio horroroso dele com o Flavio Briatore, em 2008, foi buscar novos ares na Nascar e vai se dando bem por lá.