Tinha um pit bull no meio do caminho

Nem só de glórias vive o esporte e, consequentemente, o vôlei. Apesar dos medalhões serem os protagonistas dos noticiários e os alvos dos fãs, os coadjuvantes também tem a sua importâncias. Muitas vezes ela até extrapola as quadras.

É o caso de Bernardo Romano. Ele tem alguns pódios no Circuito Brasileiro de vôlei de praia, a prata nos Jogos Militares e o bronze nos Jogos da Lusofonia como melhores resultados da carreira. Batalhador, por pouco não teve sua carreira comprometida em maio deste ano.

Ao lado da mulher, Bernardo passeava com seu labrador pelo Rio de Janeiro quando seu cachorro foi atacado por um pit bull. Ao ver que seu animal de estimação estava levando a pior, o jogador interveio e seu um soco no outro cachorro, que mordeu sua mão direita de forma violenta.

Levado ao hospital, Bernardo precisou passar por um pequeno procedimento cirúrgico e depois de muita fisioterapia conseguiu voltar às quadras dois meses e meio depois. Mas o ano já estava comprometido. Em 2011, a meta é voltar ao Circuito Mundial e, assim, tentar chegar à Olimpíada de Londres. O caminho será complicadíssimo, mas não custa tentar.

O dono do pit bull? Um playboyzinho que não deu a menor assistência ao Bernardo. Nem desculpas ela pediu. Obviamente, apesar do boletim de ocorrência, nada aconteceu a ele.

Leia mais:
Após mordida de pit bull, brasileiro sonha com Londres-2012

This article has 1 comment

  1. Realmente um absurdo. E pensar que estamos refém desses filhinhos de papai que pensam que são os donos do mundo. Mas o que esperar de um país onde as leis não são cumpridas? e os cidadãos de bem pra ficarem com um pouco mais de segurança, precisam ficar reclusos nos seus lares. É lamentável!